Portcom

Prêmios » Prêmio Luiz Beltrão
Prêmio Vera GiangrandePrêmio Ligia AverbuckPrêmio Francisco Morel
Prêmio Freitas NobrePrêmio Luiz Beltrão


Prêmio Luiz Beltrão de Ciências da Comunicação 2005

O Prêmio Luiz Beltrão de Ciências da Comunicação, outorgado anualmente pela INTERCOM – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação, pretende sinalizar quais as pessoas, equipes ou instituições que fazem contribuições relevantes para esse novo campo do conhecimento. O concurso foi instituído em 1997 para homenagear o pioneiro da pesquisa acadêmica sobre os fenômenos comunicacionais brasileiros. Os candidatos são indicados pela comunidade acadêmica da área, disputando essa distinção em 4 categorias: Maturidade acadêmica (pesquisador-senior), Liderança emergente (jovem doutor), Grupo inovador (núcleo de pesquisa ou produtora midiática) e Instituição paradigmática (escolas, institutos, empresas, associações, etc).

Em 2005, o prêmio de instituição paradigmática foi atribuído à FAPESP – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, em virtude da “política de comunicação pública”, recentemente instituída, com o objetivo de “dar transparência aos programas” da instituição e ao mesmo tempo “disseminar o resultado dos estudos produzidos pelos pesquisadores” que ela financia. O júri reconheceu também que a FAPESP vem contribuindo para “socializar o conhecimento novo, colocando as inovações tecnológicas a serviço das empresas, órgãos públicos, entidades educacionais e movimentos sociais”.

Na categoria maturidade acadêmica, o vencedor foi o Prof. Dr. Murilo César Ramos, ex-diretor da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília, especialista em avaliação de estratégias comunicacionais e formulação de políticas públicas no segmento das telecomunicações e mídias digitais. O júri considerou que o pesquisador tem “participado ativamente do debate nacional sobre a economia política da comunicação e da informação, dando demonstrações explícitas da sua maturidade acadêmica”.

O troféu de grupo inovador coube ao NCE – Núcleo de Comunicação e Educação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, que há mais de dez anos vem desenvolvendo estudos e pesquisas, bem como desencadeando iniciativas fora do campus. Em parceria com empresas, órgãos governamentais e instituições da sociedade civil, o NCE vem empregando “os processos e os meios de comunicação” para consolidar “projetos no campo da cidadania”. Dentre suas ações destaca-se o Projeto Educom.radio, cujo “objetivo é o de resolver um problema específico: combater a violência e favorecer uma cultura de paz num determinado ecossistema educativo”.

Finalmente, na categoria liderança emergente, destinada a incentivar a nova geração de doutores que ascende à vanguarda da nossa comunidade acadêmica, foram premiados conjuntamente os professores Giovandro Marcos Ferreira (Universidade Federal da Bahia) e Raquel Paiva (Universidade Federal do Rio de Janeiro). Ao analisar o perfil intelectual do professor Giovandro Marcos, o júri valorizou sua “contribuição para dinamizar as relações Brasil-França”, bem como o “desempenho pluralista” que vem assumindo na coordenação do Núcleo de Pesquisa em Teoria e Metodologia da Comunicação da INTERCOM. No caso da professora Raquel Paiva, o júri considerou a “crescente projeção nacional” que ela vem obtendo, pela ativa participação nas sociedades científicas da área (INTERCOM e COMPÓS), bem como em função do “trabalho de análise de mídia comercial e, principalmente, de comunicação comunitária”, o que se reflete na consolidação do “Laboratório de Comunicação Comunitária” da Escola de Comunicação da UFRJ.

Júri

As candidaturas ao prêmio são inscritas, cada ano, pelos sócios da INTERCOM, bem como por quaisquer outros membros da comunidade acadêmica da área. A escolha é feita por um colegiado, composto pelos ex-presidentes da Intercom: Anamaria Fadul, Gaudêncio Torquato, Margarida Kunsch, Manoel C. Chaparro, Adolpho Queiroz, Maria Immacolata V. Lopes, J. S. Faro, Cicilia M. Krohling Peruzzo, Sonia Virginia Moreira, pelo atual presidente da entidade José Marques de Melo, e pelos vencedores do Prêmio Luiz Beltrão na Categoria “Maturidade Acadêmica”, Moacir Pereira (1998), Sérgio Capparelli (1999), Sérgio Mattos (2000), Muniz Sodré (2001), Antonio Costela (2002), Carlos Eduardo Lins da Silva (2003), Ana Arruda Callado (2004) e Murilo César Ramos (2005).

Premiação

A entrega dos troféus e diplomas aos vencedores ocorreu em 8 de setembro de 2005, durante o Simpósio de Pesquisa Avançada em Comunicação: Histórias de Vida e Trajetórias Intelectuais, evento integrante do XXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação.

Informações detalhadas sobre o prêmio e o certame podem ser obtidas com sua coordenadora nacional:
Profa. Dra. Maria Cristina Gobbi
Cátedra UNESCO/UMESP de Comunicação
fone: 11 - 4366-5819
email: mcgobbi.unesco@metodista.br

O regulamento do prêmio e a lista dos seus ganhadores nos anos precedentes estão disponíveis no Portal Luiz Beltrão:
http://www2.metodista.br/unesco/luizbeltrao/index.htm

Vencedores

Instituição paradigmática: FAPESP – Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

Perfil institucional: Agência de fomento científico e tecnológico mantida pelo Estado de São Paulo, a FAPESP foi instituída em 1962 como entidade destinada a respaldar o trabalho das universidade e institutos de pesquisa, bem como estimular a formação de pesquisadores profissionais. Desde o princípio, foi estabelecido que ela deveria ser gerida por especialistas altamente qualificados e profundamente comprometidos com as finalidades sociais do desenvolvimento científico e tecnológico – o que tem ocorrido ao longo das quatro décadas de sua existência. A FAPESP subsidia bolsas de estudos, periódicos científicos, publicações especializadas, projetos de pesquisas em comunicação e mídia, uma das múltiplas áreas do conhecimento apoiadas, além de outras atividades acadêmicas como congressos, colóquios, conferências, cursos etc. Em anos recentes, a entidade vem adotando uma política de comunicação pública, destinada, por um lado, a dar transparência aos seus programas, e, por outro lado, a disseminar o resultado dos estudos produzidos pelos pesquisadores paulistas. Contribui, desta maneira, para socializar o conhecimento novo, colocando as inovações científicas e tecnológicas a serviço das empresas, órgãos públicos, entidades educacionais, pesquisadores e movimentos sociais.

Justificativa: Ao instituir um programa especial de comunicação científica e tecnológica, cujos veículos principais são a revista Revista Pesquisa Fapesp (distribuída mensalmente à comunidade acadêmica e ao público em geral) e a Agência Fapesp (boletim diário na Internet, destinado aos jornalistas, pesquisadores, estudantes e divulgadores científicos), a entidade converteu-se em paradigma para instituições congêneres de todo o país.

Grupo inovador: NCE – Núcleo de Comunicação e Educação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo

Perfil Institucional: É um núcleo que tem gerado novas pesquisas, aglutinado pesquisadores e desenvolvido uma prática marcante no país. O conceito de Educomunicação designa todos os esforços realizados pela sociedade no sentido aproximar os campos da Cultura, Comunicação e Educação. Trata-se de um campo que nasce na sociedade civil, consolidando-se especialmente na prática das organizações não governamentais que passaram a usar os processos e os meios de comunicação para consolidar seus projetos no campo da cidadania. O Programa Educom.rádio, iniciado em 2001, apresenta-se como uma aplicação do conceito de Educomunicação. Seu objetivo é o de resolver um problema específico: combater a violência e favorecer uma cultural de paz num determinado ecossistema educativo: as escolas do ensino fundamental da rede pública municipal de ensino.

Justificativa: No final dos anos 99 (precisamente em novembro de 1999, durante o Fórum sobre Media e Educação), algumas organizações como a Federação Nacional de Jornalistas, a Fundação Roberto Marinho, o Instituto Ayrton Senna e o Projeto Cidade Aprendiz, entre outras, e o próprio Ministério da Educação passam a reconhecer o conceito de Educomunicação, entendendo-o como um campo emergente de intervenção social e de prática profissional. Para tanto, os participantes do Fórum tomaram como base as pesquisas do NCE-ECA/USP. A Educomunicação se desenvolve através de áreas específicas de atividade, entre as quais, "educação para a recepção crítica dos meios de comunicação", a "mediação tecnológica em espaços educativos", a "expressão comunicativa através das artes" e "gestão da comunicação em espaços educativos".

Maturidade acadêmica: Murilo César Ramos – Universidade de Brasília

Perfil intelectual: Bacharel em Jornalismo pela UFPR (1972), ingressou no corpo docente da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília (1974), atuando como docente do Curso de Jornalismo. Completou sua titulação acadêmica na Universidade de Missouri, EUA, onde obteve os títulos de Mestre (1979) e Doutor (1982) em Comunicação, tendo sido agraciado com o diploma de “excelência acadêmica”. Desenvolveu, a seguir, trabalho contínuo de ensino e pesquisa na UnB, participando da pós-graduação, coordenando grupos de pesquisa e chegando a ocupar o cargo de Diretor da Faculdade de Comunicação (gestão 1999-2003). Publicou 3 livros, 19 capítulos em coletâneas, 7 artigos em periódicos, apresentando 14 trabalhos em eventos científicos, além de outras produções bibliográficas. Orientou 19 dissertações de mestrado e 12 monografias de especialização. Optando pelo regime de trabalho em tempo parcial na universidade, vem dirigindo, desde 1985, a empresa ECCO – Estudos e Consultoria de Comunicações Ltda., onde presta assessoria a organismos públicos e privados no campo das políticas de comunicação. Informações detalhadas da sua trajetória estão contidas na Plataforma Lattes – www.cnpq.br

Justificativa: Desde o pós-doutorado realizado na Universidade Estadual de Campinas, durante o ano letivo de 1994, tem se dedicado a estabelecer interfaces entre a pesquisa comunicacional e a investigação tecnológica. Especializando-se em avaliação de estratégias comunicacionais e participando da formulação de políticas públicas no segmento das telecomunicações e mídias digitais, tem participado ativamente do debate nacional sobre a economia política da comunicação e da informação, dando demonstrações explícitas da sua maturidade acadêmica.

Liderança emergente:

Giovandro Marcos Ferreira – Universidade Federal da Bahia - UFBA

Perfil intelectual: Bacharel em Jornalismo (1984) pela Universidade Federal do Espírito Santo e em Filosofia (1986) pela PUC Minas, realizou seus estudos de pós-graduação na França: Universidade Católica de Lyon (Ciências Sociais, 1988) e na Universidade de Paris II, onde conquistou os títulos de Mestre (1994) e Doutor (1997) em Ciências da Informação e da Mídia. Iniciou a docência universitária em 1989, na Universidade Federal do Espírito Santo, onde lecionou Teoria da Comunicação e Comunicação Comparada, liderando o Núcleo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Comunicação (NEXO). Desde 2001 vem trabalhando na Universidade Federal da Bahia, integrado ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas e coordenando grupos de pesquisa sobre o “discurso e media”.

Justificativa: Além de conquistar prestígio acadêmico, publicando capítulos de livros e artigos em periódicos de qualidade e participando regularmente dos congressos nacionais da área, tem se destacado no quadro intelectual da Intercom. Vem sendo relevante sua contribuição para dinamizar as relações Brasil-França e seu desempenho pluralista no Núcleo de Pesquisa em Teoria e Metodologia da Comunicação, o que lhe atribui papel de liderança na nova geração de pesquisadores midiáticos.

Raquel Paiva – Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ

Perfil Intelectual: No ano de 1997 defendeu a tese de doutorado em Comunicação Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, com o título: O Espírito Comum - comunicação, mídia e comunidade, sob a orientação do professor Dr. Muniz Sodré de Araújo Cabral. Em 1991 defendeu sua dissertação de mestrado em Comunicação Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ, com o título: Comunicação de massa e histeria, sob a orientação do professor Dr. Muniz Sodré de Araújo Cabral, sendo bolsista da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior, CAPES. Fez especialização em Taller de Post-Grado. (Carga Horária: 538h), no ano de 1985, no Centro Internacional de Estudios Superiores de Comunicación Para América Latina, CIESPAL, Equador, sendo bolsista da Radio Nederland Training Center, RNTC, Holanda. No mesmo ano fez curso de Aperfeiçoamento em Latin America Electronic Media Exchange Program. (Carga horária: 120), na ARIZONA STATE UNIVERSITY, ASU, Estados Unidos, sendo bolsista da United States Information Agency, USIS, Estados Unidos. Tem 20 artigos publicados em periódicos, 17 trabalhos publicados em eventos, 7 Livros publicados ou organizados, 6 Capítulos de livros publicados, 17 artigos em jornal de notícias e 1 em revistas. Orientou 25 dissertações de mestrado, 6 de doutorado e 10 trabalhos conclusão de curso na Graduação. Participou em 16 bancas examinadoras, 2 bancas de comissões julgadoras, 12 participações em eventos e tem atualmente 7 orientações em andamento. Atualmente é coordenadora e professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Justificativa: Trata-se de uma pesquisadora nova (doutorado defendido em 1997), com crescente projeção nacional por seu trabalho de análise de mídia comercial e, principalmente, de comunicação comunitária. Tem ocupado postos de destaque, coordenando um núcleo na Intercom, a secretaria da Compós e a coordenação de PPGCOM. Além disso, coordena um núcleo de pesquisa (Laboratório de Comunicação Comunitária – LECC), que tem se consolidado na área. Tem vários livros publicados, assim como artigos em revistas científicas no Brasil e no exterior.

Os vencedores dos anos anteriores podem ser conferidos no Portal Luiz Beltrão